Navigation Menu+

D&D Experience

Posted on Feb 12, 2010 in Bazar do Bizarro

conteúdo explícito

Novo podcast estreando na Terceira Terra! Marcelo Dior une-se ao Felipe Mascarenhas (a.k.a. Nerdcore) para discutir as novidades prometidas pela Wizards of the Coast na D&D Experience 2010, que aconteceu no último fim-de-semana de Janeiro.

ATENÇÃO: Estamos passando por alguns problemas técnicos. Por isso este episódio ficou com um áudio pior do que o normal. Esperamos corrigir isso antes do próximo ser gravado.

[00:00] Apresentações.
[08:40] Um pouco sobre a D&D Experience 2010.
[15:10] Darksun 4e.
[27:45] Dragonlance e Ravenloft.
[30:45] As estratégias da WotC, D&D Insider e Dungeon Tiles.
[43:46] Usando os mapas da Dungeon Magazine.
[50:00] D&D Miniatures.
[54:54] Dicas para comprar D&D on-line.
[65:10] Comprando livros usados na Amazon.com
[69:30] Pocketbooks no Brasil.
[71:40] Encerramento.

PCs de Darksun 4e da D&D XP (via Critical-Hits.com)
Artigo do portal da WotC sobre Dungeon Tiles deste ano.
– Twitter da Terceira Terra: http://twitter.com/3aTerra
– Nerdcore no Twitter: http://twitter.com/nerdcorednd
Nerdcore no NTT

Faixa de encerramento: “World War Z” por CSHC. Cortesia de Music Alley.

(Ilustração da postagem: capa da Dragon Magazine #380)

[relatedPosts]

Listen to Stitcher

44 Comments

  1. Promissor, apesar do aviso da qualidade do áudio. Só acho uma pena que tiveram só 3 minutos para Dragonlance e Ravenloft, mas acredito que oficialmente não tenha-se muito a dizer. Vou tentar ouvir no ônibus.

  2. Ouvi no caminho pro trabalho e devo dizer que foi uma ótima estreia! Se tem uma pessoa para certa para falar de novidades, esse alguém é o Nerdcore! E se ele já tem vários apelidos, dou mais um: Amazon Lord!

    Sobre as novidades, acho boa a iniciativa do D&D Essentials. Mas é engraçado olhar para trás e lembrar que o "Advanced" caiu da marca D&D para as pessoas não acherem que o jogo era muito complicado. Acho que eles finalmente se convenceram que D&D é complexo sim, e isso não é um defeito. Mas se for para atingir um público mais jovem, é necessário uma versçao light.

    O curioso é que o visual da caixa do Essentials que apareceu no site da Devir lembra muito a caixinha vermelha do D&D Basic. É uma grande revival, no final das contas. Achei bacana.

    D&D Insider: fiquei revoltado com o promoção de natal, que comprei com um amigo, e vinha com o PHB e PHB 2 além de um desconto pra assinatura anual do DDI. Só depois fui ver que o desconto só valia para residentes do Canadá e EUA. Vacilo do kct!

    E finalizando, sobre Amazon: achei ótima a dica do volume de compras. Pena que só soube agora, faltando apenas um livro pra fechar o Star Wars SAGA! De qualquer forma, eu só faço compras via camelo mesmo, e nunca tive problemas. Alias, os livros tem levado uma média de 3 semanas para chegrar, o que acho bem rápido.

    A única vez que deu extravio foi com o maldito modo intermediário. E toda vez que sei de alguém que compra nesse modo, da problema. Eu brincava e tal mas achava que era só conhecidência, mas pelo visto deve ser algo concreto.

    Mas mais é isso ai, me amarrei no Bazar do Bizarro e acho que a Terceira Terra tá ficando cada vez mais incrível! Parabéns!

  3. Obrigado pelos comentários.

    Eu mesmo ainda não escutei….com certeza será uma experiencia estranha escutar minha própria voz.

    A proposito o Holocast foi show de bola também.

    • É sempre estranho ouvir a própria voz. Eu me acostumei um pouco porque peguei o hábito de gravar e ouvir as sessões de jogos do meu grupo para ter como referência.

      Um efeito colateral é ajudar na dicção. Ao ouvir os erros que cometo frequentemente, fica mais fácil tentar resolver.

    • Que bom que gostou….o audio realmente poderia ter ficado melhor, vou ver com o marcelo se é um problema de hardware, software ou conexão, e tentaremos resolver.

      No final da gravação acabaram ficando algumas coisas que eu gostaria de ter comentado, mas ficaram para trás, apesar da pauta que elaboramos.

      O proximo epsódio como comentado terá um formato diferente, onde eu e o marcelo montaremos uma mini delve plug and play com base em materiais do open grave. Se conseguirmos orgamizar as ideias provavelmente teremos uma história/contexto, encontros, efeitos de terrenos e skill challenges. Espero agradar ao pessoal!

      • Olha, tirando um momento ou outro que engasgou o áudio, achei a média do som bem razoável e clara.

        • Tomei vergonha na cara e escutei minha própria voz no podcast…achei que poderia ter ficado pior, foi divertido fazer e espero que se divirtam jogando. Estranho no som, foi que o som do marcelo era que sumia as vezes, mesmo ele estando como "host" da gravação.

          • Ainda não descobri se foi o microfone ou o programa. De qualquer modo, por segurança troquei microfone e programa e as gravações do Carnaval sairão bem melhores na minha ponta.

      • Ah, problemas tecnicos podem ser resolvidos. Conteúdo significativo e diversão garantida só se resolve com uma equipe competente e talentosa.

        Se esse episódio foi uma amostra do que vocês tem pra mostrar eu fui vendido. Ficou demais!

  4. Argh! Mais 4e =/
    Já não escuto o Rolando20 pq é sobre 4e, agora a 4e invade o terceira terra n?

  5. Só avisando. N acho q é o zontel q faz esses pacotes. é o Mercador Zimoriano. Pelo menos no dele tem dois pacotes.

  6. Bemed, acho que vou ouvir de curioso e fazer outra coisa ao mesmo tempo…

    Mas gostei muito sobre as dicas para comprar na Amazon e o audio estava muito bom, não tive nenhum problema.

  7. Gostei muito e estou ansioso pelos encontros, vou ouvir o próximo com meu Open Grave do lado.

    Para quem mora em São Paulo, Campinas, Porto Alegre, Brasília e Recife, um bom meio de comprar livros importados é através da Livraria Cultura, geralmente sai mais barato que pela Amazon, infelizmente eles não trabalham com miniaturas ou tiles, mas ainda vale a pena.

  8. Marcelo
    antes de tudo, gostaria de parabenizar o trabalho feito por vocês da terceira terra.
    Afinal, graças a vocês hoje estou voltando para minha vida nerd-rpgistica.

    O meu pedido é o seguinte:
    Sou de belo horizonte e gostaria de ter contato com o Felipe Mascarenhas (a.k.a. Nerdcore.

    gostaria de bater um papo com ele a respeito de assuntos nerds e também fazer amizades aqui em belo horizonte, pois sou novo aqui

    Qualquer coisa é só enviar um e-mail

    –ficou muito bacana esse bazer do bizarro–

    [WORDPRESS HASHCASH] The poster sent us ‘0 which is not a hashcash value.

  9. Não ouvi ainda… mas se é MAIS 4E: MASSAVÉI DOIDIMAIS!!!!

    • Concordo que 4e é massavéi doidimais!
      Dá para entender que os mais saudosistas não curtam o jogo, mas é por isso que temos savage worlds, NWoD, Houses of the blooded, burnning wheel, L5R e dezenas de outros jogos e sistemas, cada um usa o que curte.

      Para mim a 4e permite um jogo mais descompromissado e divertido para todos, o que eu procuro quando não tenho muito tempo para jogar.

  10. Bom cast, legal mesmo… Estou ansioso demais pelos livros do Dark Sun, atualmente estou lendo a pentalogia do Prism Pentand e me apaixonando pelo cenário.

    Ravenloft é um cenário que merecia uma abordagem mais massiva na 4e, mas fazer o que… estou me preparando pra mestrar a clássica house of griphon hill, mas possivelmente eu faça umas alterações nervosas no enredo, provavelmente tirando os PCs de algum outro universo e jogando nos Domains of Dread sem muita explicação, nem contar que mudaram de ambientação eu vou, quero ver se eles percebem sozinhos..

    To aguardando o cast de delve da semana que vem, coisas do Open Grave vão me ser muito úteis…

  11. Parabéns pelo trabalho Marcelo e NerdCore. Realmente um podcast somente falando de D&D 4e , mas com um foco um pouco diferente do Rolando 20 (melhorando a cada dia) é um nicho fantastico. Esta parte de comentar lançamentos até existia no Rolando 20, mas acabou. Eu particularmente considero importante pois além de dar uma luz sobre o que presta e o que é apenas money hunting, ouvir opiniões de outras pessoas sobre produtos é sempre importante. Ajuda nas decisões. Bom trabalho.

    Sobre a questão do DungeonDelve "volume 2" parece que o livro Vor Rukoth: An Ancient Ruins Adventure Site vem com uma abordagem parecido, muita coisa pronta, quase Delve, focado em uma ambientação específica, no caso uma antiga ruina do império de Bael Turath. Tomara que seja tão bom , ou pelo menos chegue perto do DungenDelve.

    • Éu até queria dar notícias no R20, mas com episódios quinzenais, eu só ia dar notícias velhas! :D

  12. Bom, eu escutei finalmente. Apesar da qualidade do áudio ter ficado realmente um pouco aquém ao que estamos acostumados na Terceira Terra/ Rolando 20, não acho que seja impeditivo para aproveitar o conteudo, que é muito bom, por sinal. Principalmente quando o Marcelo e o Nerdcore saem um pouco da pauta e discorrem sobre seus atos e atitudes como mestres, são ótimas dicas.

    Apenas uma pequena crítica: Usem os termos traduzidos também, como faz o Rolando 20. Heroic Tier/Estágio Heróico, etc… Sabemos das preferencias de vocês, mas alguns ouvintes não conhecem inglês ou conhecem mas não tem um cartão internacional.

    • Big, o áudio vai melhorar. Já comprei o equipamento certo para essas gravações via Skype e também já sei o que estava dando errado nas gravações anteriores.

      Quanto aos termos em Português… nós não os conhecemos.

      • OK! Então… descubram! :D

        • RPG em português, o que é isso?

          Acho que posso falar pelo Marcelo também, mas sou da geração xerox, fui alfabetizado em ingles através dos livros de AD&D. Falar os termos em ingles e misturar com o português é algo que ficou costumeiro para mim. Ao poucos vamos tentando traduzir, mas tem coisa que vai ficar sempre no ingles.

          • Coincidência… eu também sou da geração xerox… e TAMBÉM aprendi inglês pelo AD&D!

            Mas tudo bem, foi só uma crítica construtiva, com o intuito de tentar agradar o maior número possível de ouvintes. Desculpe se ofendi ;D

          • Nossa, "desculpe se ofendi"? Qualé, Big!

            Meu problema está em apenas não saber os termos em português e, como estou jogando toda semana (graças a Crom!) e usando os livros em inglês, não dá para pegar os termos nacionais, primeiro porque eu teria que decorá-los, e essa tarefa eu dispenso; segundo porque acabaria me confundindo ao mestrar semanalmente.

            Mas, quando soubermos o termo da Devir, tentaremos usar.

          • Não ofendeu não, de forma alguma

            Sempre que possível faremos os paralelos, mas alguns termos sempre vão escapulir.
            Acho que nunca vou me referir ao Ranger de outra forma, o mesmo a AC, ou Saving Throws. Quando falamos da 4e também acho dificil traduzir alguns poderes…como ficou "sly flourish" em PT?

            No próximo episódio, que usaremos o Open Grave como base, já avisamos que os termos serão em sua maioria em ingles, uma vez que o livro ainda não foi traduzido.

            A crítica/sugestão é valida e está anotada, tentaremos falar sempre os termos em inglês sua tradução para não deixar nenhum jogador na mão.

          • É engraçado como os termo são de "tribos" mesmo. Eu sempre fala espada montante (great sword) e Verme da Podridão (Carrion Crawler) por causa do D&D Basic de Portugal que comecei a jogar.

            Mas esse eu ainda fala pouco. Sinistro mesmo são os ATRIBUTOS (abilities), que nunca soube como é versão nacional. Só sei que não é atributos. Alinhamento é outro, mas acho que muita gente também fala. Em português são as tendências, acredito.

          • Esse negócio de termos misturados deixa a cabeça meio doida mesmo. E cada vez que eu me confundo e mando um CA na minha mesa, sou zoado por todos! :)

            Mas não aprendi os termos em português para o podcast, e sim para a Iniciativa 4E.

          • Bom, mas acho que é uma boa!

          • Nah, blz, tudo em paz!

            :D

            Keep up the good work!

          • Vou confessar que eu e meu irmão vamos sofremos do mesmo mal pelas mesmas razões. A única diferença é que nunca houve uma edição de qualquer jogo de Star Wars em português.

          • Vou confessar que eu e meu irmão vamos sofremos do mesmo mal pelas mesmas razões. A única diferença é que nunca houve uma edição de qualquer jogo de Star Wars em português.

      • Marcelo, por acaso não seria aquele microfone que você me indicou tem um tempo, certo? Pq a minha gatinha conseguiu destruir o meu velho de guerra (mas que ainda era melhor que o meu de mesa, novo).

        Tô precisando comprar outro e já tô pensando mesmo em meter a faca no cartão de crédito. Sugestões?

        • Esse negócio de microfone USB é lenda urbana. Eu procurei em todas as lojas de som e informática de RAO e não encontrei nenhum. Na verdade, achei um tão vagabundo que fiquei até com medo de colocá-lo em minhas orelhas. E na internet foi a mesma coisa. Então eu comprei um adaptador de mic/headphone para USB. Funcionou perfeitamente, e agora finalmente poderei gravar os podcasts no iMac.

          Estes são alguns exemplos do adaptador USB: http://bit.ly/biZ8B6 e http://bit.ly/9iVWtm — mas não recomendo comprar no Mercado Livre. Eu comprei dois numa loja local e um não funcionou. Troquei-o na loja e o substituto também não funcionou. Agora tenho um que funciona e estou esperando por um substituto ao segundo. E desta vez vou testar na loja antes de levar para casa. É uma porcariazinha muito vagabunda para se pagar 10 ou 15 Reais de frete e ter a dor-de-cabeça de precisar trocar.

          • No site de busca de equipo aqui no Rio, o mais barato que achei custa 19 pila (http://migre.me/kVQG).
            Achei um pouco caro para marca "N/D". Mas você acha que isso vale mais a pena que um microfone mais caro?

          • Eu paguei R$ 20 cada aqui em RAO. Andei bastante para achar esse valor (tinha maluco querendo vender o breguetinho por R$ 48!). Na internet está oito, nove Reais, mais uns dez ou doze de frete. A diferença é muito pequena pela regalia de se pegar o produto na mão, levar para casa e testar (ou testar na própria loja) e já trocar se estiver com defeito.

            Meus testes ainda estão bem iniciais (hoje foi o primeiro teste pra valer, com o Paulo Antunes gravando o Godmode) então é um pouco cedo para ter certeza, mas até agora a qualidade está ótima. Funciona exatamente como um mic, só que você está usando a entrada USB o que, para o Mac, é importante: Macs têm mics embutidos muito bons, e por isso não vêm com entrada de mic amplificada, mas sim entrada de linha sem amplificação.

          • Se o audio continuar ruim vou testar gravar com o MIC USB do ROCKBAND do 360.

          • O Davi do Rolando 20 me deu essa sugestão. Mas só tenho microfone de verdade. Teria que comprar um adaptador para USB. Até caso queira usar no meu Wii.

          • Microfone USB é de mentira?

          • É sim, o resto é tudo de brincadeira. Não sabia não? :-)

            Hehe, é que eu me referia as microfones musicais mesmo, com aquele conector maior que não sei o nome que encaixa em amplificadores e tal (logo, microfone DE VERDADE).

          • Sei quais são.

            Existe adaptadores para colocar o "plugão" destes mics nos "pluginhos" de computador…as vezes resolve para vc.

          • Tenho dois microfones USB, os dois feitos para Rock Band. O segundo, que comprei nos EUA, é excelente. Com uma base que comprei por lá da Behinger, fiquei pró de mic. Mas ainda vou comprar um mic condensador quando achar o que quero.

            Além disso, meu headset microsoft também é USB.

          • Ta ai… meu irmão deu a ideia de tentar a webcam da microsoft que segundo ele, tem um microfone bom. Mas não sei se é bom pra podcast… alguém tem ideia?

            O preço é bem equivalente ao headset da Microsoft, mas pra mim vale muito mais a pena arrumar a cam do que o headfone.

Qual sua opinião? Comente!

RSS FeedAssine o RSS do Bazar do Bizarro e não perca nenhum episódio

 

Somos orgulhosos de sermos afiliados a:


Free Delivery on all Books at the Book Depository



Qualquer compra nessas lojas nos garante 5% de comissão e nos mantém no ar.
Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE
%d bloggers like this: