Navigation Menu+

Cowboy Bebop

Posted on Jun 23, 2011 in Dimensão 7

imagem-cowboy bebop

Ranieri e Roberta Mattos conversam sobre esta ópera em formato de animê.

[relatedPosts]

Listen to Stitcher

15 Comments

  1. Olá pessoal,

    Bacana o episódio. Também sou muito fã desse anime e com certeza é impossivel falar sobre tudo presente na série num episódio, mas parabenizo pelo esforço.

    Só para reforçar:

    – A Terra (verdadeira lixeira, rs) foi abandonada (ou quase, já que tem uns loucos vivendo lá) depois de um acidente que destruiu o portal entre a Terra e a Lua, causando uma chuva de meteoros sobre a Terra todos os dias, daí a maior parte da população foi para outras colônias (Marte é a colônia mais importante e supostamente desenvolvida da série).

    – A nave Bebop era do Jet, apenas a Swordfish era do Spike.

    – Yoko Kano (pianista muito boa por sinal) é a responsável pela maravilhosa trilha sonora junto com os Seatbelts, um conjunto com instrumentistas de vários países (os criadores disseram que a banda existe no cenário da série e o nome vem da necessidade deles usarem cintos de seguraça quando fazem performances mais hardcore).

    – O longa se passa entre os episódios 22 e 23 (tem até uma breve aparição do rival/irmão gêmeo do Spike).

    Sobre a teoria do triângulo Spike-Julia-Vicious, tem de fato alguma influência de Casablanca, mas tenho dúvidas se foi Spike ou Vicious quem traiu o amigo com Julia, pois os flashbacks não deixam claro.

    • Opa, Brenno obrigado pela contribuição e que bom que gostou do episódio. Abraço.

    • Realmente quanto ao triângulo amoroso só nos resta especular, mas como a nossa teoria se baseia em Casablanca, acreditamos que Julia estava com Vicious e quando ele foi em missão, ela o toma por morto e se envolve com Spike, e nesse ponto ele retorna. Se assistir esses episódios com atenção ( a cheia de estrogênio aqui dá mais atenção ao romance) dá pra preencher as lacunas.

      Obrigada pelas contribuições.

  2. Gostei da visão geral, mas não sei. Eu gostaria que a série tivesse sido retomada em todos os aspectos fazendo um episódio mais longo que comentasse os principais momentos da série. Até porque como vocês disseram a série em si é muito boa.

    De qualquer modo o tema foi interessante, mas achei que ficou meio solto. Não querendo criticar a realização, mas é que eu realmente sou muito atento a etalhes das séries.

    Eu ainda friso que queria ver um episódio sobre Tokusatsu em geral aqui, mas tudo bem.

    De resto bom episódio e continuem por aí. Só pespero que a repercussão sobre esses temas melhorem. Parece que as pessoas não se animam muito com temas fora do espectro da cultura Norte-Americana.

    Sobre personagenms incorretos ou interessantes eu acho que vale lembrar (de outras séries) o Black COndor de Jetman. Joe higashi de G-force oiu Saito Hajime e Sagara Sanosuke de RuroKen.

    Claro, eu sei nada disso tem haver com a trama de Cowboy Bebbop.

    Falando mais especificamente sobre o tema em si acho que faltou, também, falr do lindoi episódio em que Faye encontar os video dela na terra com o seu passado e acabamos descobrindo que a mulher fatal crua e fria é na verdade um ser humano bem dentro dos padrões e acabamos criando certra identificação.

    Ainda existem os episódios paralelos que não tem nada a adicionar como o do monstro da geladeira. Sobre as referências. Eu não sei se podemos citar isso, mas o filme Cão Danado de Akiira Kurosawa parece se refletir em alguns arcso do Jet. Especialmente algumas cenas e suas vestimentas que obviamente tem haver com a tradição ocidental de filmes Noir.

    Ainda sobre outros personagens acho que poderiam ter visto um pouco mais sobre aquela cena da catedral em que Spike é jhogado na rua pelo impacto do golpe do Vicious.

    Claro, eu estou me animando porque eu tbm acompanhei a série e tenho o filme aqui em casa. Elke foi lançado diretamente pro Home video em uma versao bem simples, mas acho que é ´so isso mesmo o que tenho para comentar.

    Espero não ter sido um comentário fútil e nem muito off topic. Sobre a série em si. Até gostaria de ver um segundo episódio comentando sobre os episódios em si, mas acho que o dimensão 7 devberia voltar com alguns temas polêmicos antes de voltar aos temas de anim~e e seriados. Por mais que eu ache que o Terceira Terra PRECISA de espaço para essas produções e vocês vem dando espaço pra esse material.

    Agradeço por outro podcast sobre espectro da cultura nipônica. Aproveitem o gancho e falem de Casa Blanca e filmes Noir em um próximo episódio.

    .

    • Grato pelas observações. Estamos pensando em um sobre Tokusatsu… abraço.

    • Seu comentário não foi de maneira nenhuma fútil, ao contrário, nos ajuda a crescer. Eu acho que a resposta a temas ‘não americanos’ tem sido até muito boa, procuraremos cada vez mais abrir espaço sim, mas já que teremos um Keanu-spike, esse tema (tristemente) passará a ser tratado como se norte-americano fosse. O episódio em que Faye encontra suas fitas é de fato lindo, choro toda vez que assisto (faleeei!!!), mas me debulhar mesmo só no episódio treze quando o Glen morre e toca Space Lion (minha música instrumental favorita da série), Call me Call me também é um absurdo! Acho que faria um episódio dois só sobre a música de Cowboy Bebop.

  3. Já que o pessoal já corrigiu a maioria dos erros, queria falar que o lance do olho do Spike ” que vê o passado” é uma METÁFORA. Aquele olho é um implante, por isso a cor é diferente. Ele o perdeu na luta em que o Vicious “o matou”.

    E outra: a Júlia morre bem antes da invasão na base da Red Dragon. Ela toma um tiro nas costas e a morte dela é o que motiva o Spike a procurar uma vingança definitiva pra começo de conversa.

    Tô sendo chato, mas é porque Cowboy Bebop tá no meu Top 3.

    • Na verdade falamos de maneira metaforica sobre os olhos do Spike, mas de fato tinha esquecido desse lance do olho ser um implante também. Obrigado por ter lembrado. Abraço.

    • Ok, o olho pode até ser um implante (não sei disso não, o do Jet obviamente é), no entanto se aproveita isso para o lado poético da coisa, pois ele diz que com esse olho só vê o passado, e as lembranças da Julia o atormentam e guiam ao mesmo tempo.
      Não dissemos que a Julia morre na invasão do red Dragon! Para nós como o último ato de uma ópera, Cowboy Bebop se encerra como uma batalha épica (todo o seu último episódio) na qual todo o triângulo morre.
      Obrigada por detalhar tanto, de qualquer forma nos deixa mais espertos e podemos de fato ter deixado passar alguma coisa ou ter sido pouco claros.

  4. Acho que a melhor parte de Cowboy Bebop são as cenas de ação combinadas com jazz. A forma como eles combinam uma música mais “calma” com tiroteios quase frenéticos….yeah

  5. outra coisa que foi falado e cowboy bebop e niguem comentou sao os geoglifos vamos ver se vcs sem lebram isso e no episodio que a ED aparece na primeira vez
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Geoglifo

  6. Valeu Paulo! Aguardo outras participações suas no holocast!

  7. Que bom que gostou. O Vicious é um personagem muito nebuloso, por isso não tive muita informação sobre ele… quanto o lance da dubladora da Faye ser a mesma da Rei eu não sabia mesmo!!! Valeu.

  8. Oi juliano!

    Como eu disse quero fazer uma parte 2 sobre a música!!
    Acho que o Jet sabe sobre a origem do Ein, mas como ele é um durão de bom coração que ama bonsais, cachorros e crianças, ele faz vista grossa pois quer manter o lindinho do Ein por perto. aliás, uma constante em Cowbe é isso de não conseguirem a recompensa por causa do coração mole.
    Obrigada pelas curiosidades, enriquecem bastante.
    Abraço e continue nos ouvindo!

Qual sua opinião? Comente!

RSS FeedAssine o RSS do Dimensão 7 e não perca nenhum episódio

 

Somos orgulhosos de sermos afiliados a:


Free Delivery on all Books at the Book Depository

Qualquer compra nessas lojas nos garante 5% de comissão e nos mantém no ar.
Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE
%d bloggers like this: