Navigation Menu+

Criando mundos imaginários

Posted on Sep 28, 2011 in Jogador-Sonhador

Não é por um mundo ser imaginário que ele estará despegado do jogo ou das pessoas que o jogam de sessão para sessão. Se o passado episódio foi sobre regras, este avança daí para as questões da ambientação continuando a usar os populares Dungeons & Dragons, Call of Cthulhu e Vampire: the Masquerade como exemplo.

Qual sua opinião? Comente!

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE
%d bloggers like this: