No meio do ano saiu um RPG bem diferente, chamado «A Penny For My Thoughts», inspirado em teatro de improvisação. Escrito por Paul Tevis, do podcast Have Games: Will Travel, que gentilmente nos cedeu uma cópia para avaliarmos, o jogo — além de fascinante — força os limites do que conhecemos como interpretação, como roleplay.

Esta é uma sessão de jogo (SJ) de aproximadamente duas horas, que cobre os dois primeiros terços de uma típica sessão de APFMT, essencial para que a entrevista com o criador do jogo, que irá ao ar na segunda-feira, seja melhor aproveitada.

Jogadores: Marcelo, Neto, Rodolfo e Taz.