Navigation Menu+

A Penny For My Thoughts

Posted on Nov 20, 2009 in Sessão de Jogo

A Penny For My Thoughts

itunes_explicit
No meio do ano saiu um RPG bem diferente, chamado «A Penny For My Thoughts», inspirado em teatro de improvisação. Escrito por Paul Tevis, do podcast Have Games: Will Travel, que gentilmente nos cedeu uma cópia para avaliarmos, o jogo — além de fascinante — força os limites do que conhecemos como interpretação, como roleplay.

Esta é uma sessão de jogo (SJ) de aproximadamente duas horas, que cobre os dois primeiros terços de uma típica sessão de APFMT, essencial para que a entrevista com o criador do jogo, que irá ao ar na segunda-feira, seja melhor aproveitada.

Jogadores: Marcelo, Neto, Rodolfo e Taz.

14 Comments

  1. Opa! primerão! rsrsrsrs

    mas ainda não ouvi.

    ^_^

  2. PQP!!! mto foda XD

    fiquei com vontade de fazer isso ^^

    continuem o bom “trabalho” õ/

  3. Eu voui, mas estava fazendo outras coisas, mas mesmo assim, que louco!!!

  4. O Marcelo, a musica q vc cantou é Gitá. O Rodolfo que acertou a musica 😛

    Ainda n terminei de ouvir, mas to achando interessante a idéia do sistema.

  5. muito loko essa finta, me rachei de rir com o destino do mercelo e seus indios comedores de macado (sei la mais em quantos sentidos).
    vo tenta faser uma coisa assim quando meu grupo não tiver completo.

  6. Minha nossa… isso foi um jogo ou uma terapia de grupo em hospital psiquiátrico? Hahahahaha! Interessante, mas quando eu levanto pra pegar uma água sem dar pausa, eu me perco todo.

    Eu achei que fosse parecido com Wushu, mas nem é.

    T+

  7. O site do have games: will travel está sendo bloqueado por ser considerado foco de ataques pelo Google. Uma pena, seria bom contactar o tal do Paul Tevis.

  8. Escutei até a metade mais ou menos…. parece divertido mas não vejo nem um pouco de rpg nisso.

    Mas como disse parece ser divertido, de se jogar pelomenos… porque escutando fico meio bobo.

  9. FENOMENAL!

    Mas não deixa de ser RPG não… é pura interpretação e improviso! Magnífico!

    Se alguém for jogar APFMT via email, me chamem!!!!

  10. MUITO BOM, comprei o APFMT e já tô organizando um grupo na faculdade pra jogar. Jogar via e-mail ou Google Wave é completamente possível e se aparecer algum grupo, podem contar comigo.

  11. Muito louco!

    Massa de mais, acho que é um jogo, onde as memórias não são narradas como em um passado, logo fica um jogo de contar histórias narrativamente (é eu fiz e não eu faço)

    A história é criada coletivamente, mas a principio não é uma mesma história para todos os personagens (como na maioria dos RPGs).

    Também não há regras de personagens, apenas regras de jogo, o que foge um pouco do RPG Classico.

    Outro ponto que difere da maioria dos RPG é que não há continuidade entre as sessões.

    Mas com certeza é um jogo bem legal, e dependendo do nível da história criada pode ser transposta para uma outra mídia de forma magnífica.

  12. Muito interessante ouvir a sessão de jogo e foi tão informativo que não só parece que podia já começar a jogar uma sessão como também dei por mim a esboçar mentalmente respostas ou possibilidades-

  13. Ouvi com sete anos de atraso e adorei!!! Deu muita vontade de jogar!

    Eu até me surpreendo como é que o o Marcelo Dior pôde ter parado de jogar RPG depois disso. Suponho que não tenha muito como enjoar de Story games assim, não tem preparo prévio…

    O que eu acho que dá pra enjoar é de jogos de combate tático, especialmente quando existem agora jogos de tabuleiro que fazem isso melhor que os RPGs.

Qual sua opinião? Comente!

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE
%d bloggers like this: