Navigation Menu+

Culturas exóticas

Posted on Feb 3, 2010 in Vozes da Terceira Terra

Com tantos jogos de fantasia e ficção científica, mais dia menos dia você fica sem saber o que fazer para produzir uma cultura exótica. Mas é para essas coisas que há o Vozes da Terceira Terra! Artur, Ivar, Marcelo e o convidado Alexandre “Diabético” dão dicas de como fazer uma raça ou civilização esquisita com apenas alguns toques.

Plugue: Petitecast (podcast do La Petite Mort) http://lapetitemort.jusnoctis.com.br/?cat=6

SHOWNOTES

[00:00] Enrolação sobre o novo Mundo das Trevas.
[05:06] Apresentação do tema.
[09:30] O que é uma cultura normal?
[17:00] Criando choque cultural.
[20:15] Exemplos.
[31:30] Ampliando características existentes.
[34:50] Como fazer culturas exóticas rapidamente?
[44:35] Leia, ouça, veja.
[54:30] Recado.
[56:20] Papo sobre o filme «Sherlock Holmes».
[59:27] Vozes de fundo: bebidas, xixi no banho (e em outros lugares),

LINKS CITADOS

• Notícias do Velho (ovelho.com);
• Dragon Magazine de culturas exóticas
• Blog Librarium (www.librarium.com.br)

Nossa trilha sonora é cortesia de MARCOS KLEINE. Para conhecer mais o artista, acesse MarcosKleine.com.br

Ilustração desta postagem: “Colors” ©‎ 2007 Photoblog.

[relatedPosts]

27 Comments

  1. já estou baixando…
    meu banner pode ser encontrado no meu blog: daemonfan.blogspot.com

  2. To ouvindo aqui.

    Só um adendo. O nome completo é Sid Meier's Alpha Centauri. Eu nunca joguei o jogo mas como eu sou um grande fã de Civilization já ouvi falar.

    O outro que Marcelo confundiu é a série Masters of Orion do qual eu sei menos ainda.

    Para quem gosta desses jogos tem um mod d fantasia para Civilization 4 que tem muitas civilizações exóticas e é muito bem trabalhado, se chama Fall from Heaven e é um cenário bem dark fantasy porém high-magic. Muito bom.

  3. Marcelo. Só para tirar uma duvida abusando de seus conhecimentos de história.

    Falange não é uma formação macedônica (do exército de Alexandre, o Grande)?

  4. E sobre Deadlands. Joguem a versão mais nova (a que usa Savage Worlds, q inclusive é uma evolução do sistema do Deadlands) que vcs n vão precisar de tanta coisa.

    • Tabris, vou estudar um pouco a versão do Savage Worlds… mas como tenho o original, gostaria de, pelo menos uma vez, gostaria de jogar o Deadlands tradicional com toda a parafernália do sistema original 🙂

      • Putz Ivar, particularmente eu adoro parafernália!

        Tem vez que ficar só no roleplay e gastar horas sem nem olhar pra mesa de jogo é bacana, mas me divirto com a mesma intensidade usando os tabuleiros, miniaturas, marcadores, cartas de condições, fichas, etecetera e tal.

        Deixa o jogo mais parecendo jogo! Mesmo que pareça mini-game dentro do jogo de roleplay.

        Né?

        • Então, Rovalde… especialmente no caso do Deadlands, as fichas de pôquer, os baralhos necessários para os feitiços dos Hucksters e os clips coloridos pra marcar ferimentos ajudam a dar uma ambientação tipo "saloon" para a mesa de jogo. Eu curto pra caramba! 🙂

  5. 3-hit combo do Tabris!

    Cara, para esse tipo de coisa eu teria que procurar em algum livro na biblioteca da Unesp. Como ela está há 96 km, olhei no Houaiss mesmo: "Na Grécia antiga, corpo de infantaria espartano e macedônio." Também pode ser "organização política espanhola inspirada no fascismo italiano", mas não acho que era disso que o Ivar estava falando.

    De qualquer modo, está todo mundo certo. É grego, é macedônio, é italiano e (pelo dicionário) é até da umbanda, hahaha!

  6. Putz só faltou o número da Dragon que saiu o artigo.
    Marcelo se você conseguir um tempo (sei que tá cada vez mais dificil) tenta encontrar o artigo original em inglês e diz aí em que número da Dragon que saiu. Assim dá pra tentar correr atrás e ver do que se trata (ô bixo curioso que eu sou!). Abraço E demais, o de sempre, excelente episódio! Parabéns!

    • A matéria chama-se «Construindo culturas criativas», e saiu na Dragon Magazine (edição brasileira) nr. 4. Não faço idéia se é uma matéria traduzida, e em que Dragon norte-americana saiu.

      • Valeu Marcelo! Assim que você deu a dica do número da Dragon tudo ficou mais fácil!
        Foi só usar o google-fú!

        O artigo foi escrito originalmente por Buck Deason Holmes com o nome de "Cultivating Campaign Cultures" e saiu na Dragon 196 para D&D 2ª edição!

        Pra quem ficou curioso, como eu, pode dar uma espiada em uma das tabelas desse artigo nesse link aqui: http://www.imaginauta.com.br/imgs/materias/30_8.j

        Valeu Marcelo ^_^

  7. Gente, tem que ter um mulher nesse PodCast mesmo!!!
    Olha o vozes de fundo!!! Xixi na pia, circuncisão, jato de xixi, pinto,água sanitária com cheiro de porra!!! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    Tem que ter uma mulher presente, gente!Não tão mantendo o nível!!!Que que é isso!!!!
    Rsss
    Adorei!
    Bjos

    • Hahahahahaha, ouvi só até "ouça, leia, veja, jogue" no caminho pro trabalho! Agora fiquei curioso pra ouvir o resto do programa!

      Que é isso! Pela descrição parece quadrinho do Marcatti!! 😀

    • Você teria que ter estado nessa gravação, Luciana, para podermos comentar a respeito do famoso João BOX, que era o proponente-mor da Urinoterapia lá naquele casarão onde (quase) alugamos uma sala para fazer aquele escritório. Lembra do figura?

      • VTT não é VTT se não tiver escatologia. E não me refiro a "ciência do destino ou propósito últimos da humanidade e do mundo". 🙂

      • ô se lembro!!! O cara fazia urinoterapia!!!
        Bebia xixi e tinha cara de cocô mesmo!!! kkkkk
        Figuraças advindas dos umbrais de Ribeirão…MEDOOOOOOO

  8. Ouvindo agora!

    Betazed é o planeta, a espécie/cultura se chama Betazoid! Outra cultura telepática interessante de Star Trek são os Cairn, eles também se comunicam por telepatia, mas através da transmissão de imagens e não de palavras.

    Praticamente todas as espécies de Star Trek têm culturas exóticas e interessantes: o militarismo e devoção à família dos Cardassianos, o capitalismo dos Ferengi, a honra e belicosidade dos Klingons, a simbiose dos Trill, a religiosidade dos Bajorianos, a poligamia dos Denobulanos, entre muitos outros exemplos.

    • Dai vem uma pergunta (que também vale para Star Wars): se toda cultura do cenário é exótica, será existe tanto o choque do encontro com o exótico?

        • Também tenho duas: "uma bosta"! Porque é isso que os Buzan Vong são 🙂

      • Eu acho que se TODA cultura é exótica, então SEMPRE vai existir choque.

        Mas podem existir também similaridades que levem a alianças, amizades ou mesmo uma rivalidade amistosa entre 2 culturas, citando ainda alguns exemplos de Star Trek: Cardassianos e Romulanos tiveram uma breve aliança, provavelmente aproximados pelo traço de que ambas as culturas consideram que o Estado é mais importante que o indivíduo; nos novels existe uma rivalidade amistosa entre Andorianos e Klingons, porque ambas as culturas valorizam a habilidade marcial e a honra.

  9. Olá pessoas!
    Eu tava escutando o cast hoje e pensei sobre uma dúvida que o Marcelo teve lá pro meio da discução:

    Será que os Kenders seriam uma variação exótica dos Halflings… ou tô viajando?

    • Um livro sobre halflings do tempo da TSR estabelecia que os kenders são uma sub-espécie de halfling. Não estou certo, mas acho que vi isso no "Complete Book of Gnomes & Halflings", de 1993.

      • Olha, não lembro onde, mas já li que segundo os Gnomos de Dragonlance os Kenders são Anões que foram magicamente alterados pelo Caos, já os Anões dizem que os Gnomos é que originaram os Kenders.

    • Kenders são uma versão sem pelos dos Ewoks.

      • Não, os Ewoks são uma versão miniatura dos Wookies, tipo poodle e poodle toy.

Qual sua opinião? Comente!

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE
%d bloggers like this: