Navigation Menu+

Mulher Maravilha

Posted on Jul 8, 2017 in X-Poilers

xpoilers-ww-vitrine

X-Poilers Especial: Mulher Maravilha!! Apresentação: Luciana, jornalista de recesso, mestre em treinamento e garota geek nas horas vagas; Karin, cientista de cabelos mutantes que tem o poder da metodologia; Leo, homem múltiplo com poderes nerdísticos e gastronômicos e João Camilo, comunicólogo não praticante, contador de histórias que tem o poder de narrar sonhos e que comenta séries com conteúdo.

Convidadas especiais: Anne Caroline Quiangala, idealizadora do blog Preta, Nerd & Burning Hell, uma das poucas fãs da série Birds of Prey, que só tem itens da DC, mas é marvete. E Juliana Fischer, que é designer, cozinheira, animadora e mestre de RPG, não necessariamente nessa ordem

02:16 Mini-entrevista com a Juliana
05:37 Breve histórico da Mulher Maravilha
14:19 Mulher Maravilha – Ficha técnica
19:05 Mulher Maravilha – 1º ato
43:47 Mulher Maravilha – 2º ato
1:09:06 Mulher Maravilha – 3º ato
1:42:02 Agradecimento
1:46:19 Encerramento

Comentado no episódio:

Entrevista com a Anne no X-Poilers 59
Curta de animação da Juliana.
“Eu vivi para ver minhas princesas de infância se tornarem generais.”
• Mulher-Maravilha” tem melhor estreia de um filme dirigido por mulher na história
O ator nativo canadense Eugene Brave Rock fala sobre seu papel em Mulher Maravilha.
• Eugene Brave Rock confirma a teoria de fã para O Chefe em Mulher Maravilha.
Nove heroínas da 1ª Guerra Mundial tão maravilhosas quanto a Mulher Maravilha
Participação da Fabi no X-Poilers
Qual a importância do filme Mulher Maravilha? – Lully de Verdade 

Bônus Maravilhoso!

Fernanda Nia – Como eu realmente Mulher Maravilha
• Mulher Maravilha é a maior bilheteria de filme live action dirigido por mulher.
•  Patty Jenkins irá dirigir Mulher Maravilha 2
Mulher Maravilha ultrapassa Batman vs Superman e Esquadrão Suicida na bilheteria americana.
Cinco amazonas de ‘Mulher Maravilha’ falam sobre o poder intrínseco ao seu exército de mulheres.
 Kevin Feige sente que a popularidade da Mulher Maravilha e o sucesso de bilheteria será bom para a Capitã Marvel
Mulher-Maravilha: Utopia, Representação e Alteridade

Data da gravação: 02.07.2017. Quer ouvir o X-Poilers no dia em que ele é editado? Torne-se um Patrono do podcast no Patreon ou no Padrim!
Quer ajudar a gente a fazer um X-Poilers cada vez melhor? Envie email para xpoilers@terceiraterra.com, não esqueça de colocar seu nome, idade e cidade.
Confira as playlists do X-Poilers no Spotify, com a trilha sonora de Iron Fist e das demais séries!

Músicas:
Wonder Woman’s Wrath – Wonder Woman Soundtrack – Rupert Gregson-Williams
Trafalgar Celebration – Wonder Woman Soundtrack – Rupert Gregson-Williams

http://creativecommons.org/licenses/by/3.0/

Listen on Google Play Music

1 Comment

  1. O episódio ficou sensacional, parabéns a todas(os).

    Assisti Mulher Maravilha com minhas filhas, nunca que eu perderia essa chance. No início de terra de Ninguém, minha mais nova segurou meu braço, bem quando Diaba sobe a escada e aparece com o uniforme pela primeira vez, e disse “estou com vontade de chorar”, daí eu virei pra ela (eu mesmo já escorrendo em lágrimas) e disse “Sério? Pega uma senha.”

    Pra ser sincero, tirando de lado essa guerrinha besta de marvel/DC, este foi um dos poucos filmes de quadrinhos há MUITO tempo que realmente dá vontade de ver de novo. E de novo. E de novo. Sua mensagem de esperança pode muito bem (como foi o primeiro filme do Super Homem) ser uma referência para o estilo daqui pra frente.

    Sobre as críticas a respeito do último arco, meio que discordo de vocês. Ares não estava ali para representar um véio bigodudo com CGI ruim, e o bigode faz parte de sua representação. Ele não era um deus da porrada, e sim um que representava a “forma antiga” de dominação mundial/masculina. Ele ficava na intriga, querendo ver o circo pegar fogo mais e mais, se escusando de tomar atitudes enquanto botava pilha nas pessoas para se matarem em benefício dele. Ele representava a política, o poder do homem enquanto “lei do mais forte”. O que ele faz perto do fim é querer justamente infectar Diana com isso, fazê-la sucumbir ao ódio (ela quase cai nessa, quando o avião explode ela é tomada de raiva e vontade de matar, mas é trazida de volta a sua verdadeira missão como deusa quando recorda o último diálogo com Trevor). E ela dá a volta por cima, mostra como um deus velho e antiquado não teria mais lugar num mundo de esperança.

    Acho que essa é uma das maiores mensagens do filme. Quando os solados se abraçam e tiram suas armas e capacetes, é porque todos (mesmo os alemães, mesmo o grupo de Trevor, mesmo os generais mortos pela dupla de vilões) não aguentavam mais a guerra em si, e esse é o “evangelho” da Mulher Maravilha enquanto deusa, no final.

    Sobre a baixa qualidade do CGI, só tenho a dizer que vocês ainda são sortudos(as). Se tivessem crescido como eu, num mundo onde efeitos assim eram feitos com massinha de modelar ou “cromaquís” tão ruins que pareciam recortados com tesoura cega, não reclamariam tanto, hahahahaha. Acho que o filme foi fantástico o suficiente para suplantar o orçamento modesto, então não reclamo disso.

    Abração, amei o episódio. 8)

Qual sua opinião? Comente!

RSS FeedAssine o RSS do X-Poilers e não perca nenhum episódio

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE
%d bloggers like this: